Ao falar da inteligência artificial (IA) devemos voltar no tempo e avaliar como a inovação tecnológica transformou o mundo e ofereceu mecanismos de modernização, facilitando assim, o processo produtivo industrial e a comercialização no mercado.

Esse retrocesso é importante para entender melhor a engrenagem do progresso e o vínculo do homem com o trabalho, depois de afetado pela automatização. Qual é o papel da mão de obra humana em meio a todo o novo cenário digital?

Neste post, vamos abordar o conceito da inteligência artificial e como você deve perceber o mercado de trabalho em relação ao uso da tecnologia como fonte de negócio. Esteja preparado para absorver cada vez mais atividades com atuação maciça das máquinas!

O que é a inteligência artificial?

O conceito parece ser simples, mas tem um impacto gigante por onde é aplicado. As máquinas, cada vez mais inteligentes, são preparadas para desenvolver projetos aplicáveis a qualquer setor de atividade econômica, com foco na produtividade e aumento do faturamento.

Com isso, podemos dizer que o objetivo da solução é conceder maior autonomia intelectual aos computadores para aumentar a eficiência e capacidade de decisão, além da execução de tarefas e solução de problemas sem a interferência humana contínua, apesar de integrada.

É sabido que uma máquina pode até operar sozinha, mas não sem antes ter o funcionamento acionado. Portanto, só pode ser realizado com a participação humana na primeira etapa e interferências pontuais ao longo dos procedimentos.

É preciso entender a inteligência artificial como um complemento e não como ameaça aos empregos futuros. É claro que há uma tendência natural substitutiva, e a proposta de inovação está avançando a passos largos sem chances de recuo. Ou você se adéqua, ou terá problemas em se manter ativo.

Como lidar com a inclusão desse recurso no mercado de trabalho?

Não é de hoje que o mundo dá mostras dessa transformação. Desde o surgimento de computadores mais avançados, celulares com funções múltiplas e aplicativos interativos, as constantes atualizações já exigiam um grau maior de conhecimento dos usuários.

A mudança de comportamento surge como um divisor de eras — analógica e digital — convidando o mundo humano a refletir sobre o posicionamento e o investimento em estratégias de conhecimento que permitam condições de se manter no mercado de trabalho.

Veja o que você pode fazer para se antecipar e minimizar o choque gerado pela inclusão da IA nas diversas áreas e setores, se posicionando de forma estratégica como um perfil essencial no engajamento de novas ferramentas!

Mantenha-se atualizado

Quando a Inteligência artificial entrar de vez nas empresas para aperfeiçoar os processos e facilitar a rotina diária, haverá uma segregação natural daqueles profissionais aptos a absorver uma nova filosofia de trabalho.

Quanto mais atualizado você estiver, maiores as chances de se tornar uma peça importante e permanecer no seleto grupo de adequação. O aprimoramento constante faz parte das ambições corporativas e você deve seguir os mesmos passos.

Se você já utiliza ferramentas tecnológicas, busque conhecer a fundo o seu funcionamento. Interaja com elas e antecipe-se, pesquisando sobre as novas versões que, certamente, serão utilizadas em médio e longo prazo.

Busque por informações sempre

A informação circula todos os dias, a todo o momento, mas é fundamental filtrar os conteúdos que possam ser mais bem utilizados a favor do seu desenvolvimento profissional.

Atualizar-se é um diferencial que precisa convergir para a inserção das novas tecnologias no mercado. Esteja atento às etapas de implementação das soluções integradas no ambiente de trabalho.

Deseje fazer parte do time experimental e participe ativamente de todos os processos. Leia sobre as inovações e como elas estão integrando às inteligências — digital e orgânica — dentro do mundo moderno.

Se possível, faça assinaturas on-line de revistas especializadas para acompanhar em tempo real, de qualquer lugar, as novidades em andamento. Analise os cases de sucessos, pois antes mesmo de a empresa cogitar as mudanças, você saberá o que há de tendência no mundo.

Quanto mais municiado de informações você estiver, mais fácil será identificar a potencialidade de uma inovação. Se a sua empresa atua com atendimento telefônico ao cliente é provável que vá aderir às chamadas autoguiadas programadas para uma abordagem direta.

Desenvolva competências comportamentais

Seja intuitivo e observador. Essas são características essenciais para receber uma tecnologia nova e fazer dela uma aliada de trabalho. Foque o pensamento em todas as melhorias possíveis dos processos existentes.

A tecnologia transforma não só as atividades, mas também o jeito de ser, pensar e atuar do ser humano. Há uma reinvenção de conceitos e valores em andamento a cada vez que surge uma nova ferramenta.

Relacione-se com a era digital, mas também com todos os profissionais dispostos a reinventar-se. Essa disposição ajudará na conexão com os novos parâmetros adotados dentro do ambiente corporativo.

Saiba se adaptar

As mudanças costumam provocar desconforto, até que estejam plenamente consolidadas. A resistência prejudica o entendimento das facilidades, como uma cortina de descontentamento e negatividade.

Procure enxergar os benefícios das novas ferramentas e tente adequar, o quanto antes, o ambiente ao seu estilo e metodologia de trabalho. Uma adaptação rápida não só descomplica a implantação, como demonstra a sua capacidade de reconhecer a necessidade de integração à modernidade.

Entenda e opere novas tecnologias

Que a transformação digital chegou ao presente e dominará o futuro, já sabemos. O que ainda não está claro é quais serão efetivamente as tecnologias empregadas. No entanto, é possível prever de acordo com o segmento e o negócio da empresa.

Há uma infinidade de cérebros privilegiados desenvolvendo soluções para oferecer ao mercado. Entenda sobre elas, como funcionam, qual é a base de operacionalização e demonstre conhecimento sobre o assunto.

Dos aplicativos aos programas integrados, a tendência será a de uma exigência cada vez maior pelo domínio e entendimento de tecnologias diferentes das utilizadas cotidianamente. Esse é o melhor caminho para ser mantido no emprego e, inclusive, requisitado para auxiliar os colegas em apuros.

O avanço da tecnologia estabelece um novo olhar sobre o mercado e a expansão do negócio. Se países como China, França e Canadá já estão a passos largos investindo na inteligência artificial, chegou a hora de encarar a realidade e o fato de que a era digital sobrepôs a analógica e que devemos investir em conhecimento.

Nenhuma empresa atuará totalmente operada por máquinas ou mãos humanas. O equilíbrio torna tudo mais fácil, dinâmico e propenso a um resultado de sucesso. A contribuição humana tem um valor agregado e deve ser utilizada como vantagem competitiva. Seja você uma força de trabalho colaborativa!

Você curtiu este post sobre a inteligência artificial? Percebeu que está na hora de se preparar para a concorrência no mercado de trabalho? Então, deixe um comentário neste conteúdo com sua opinião e suas ideias para trocar conhecimentos com os outros leitores.